Quintessência 

Emissão, manutenção, reabsorção, ocultação e revelação. 



1.	O poder de emissão do universo. Depois que ParamaŚiva se percebeu, teve a necessidade de se auto-experimentar, então criou o mundo objetivo e ao entrar em contato com ele, comprovou sua criação. Assim nasceu a tríade, conhecedor, conhecimento e conhecido. Śiva é o conhecedor, o universo é o conhecido e a relação de experimentação entre os dois é o conhecimento que nasceu antes da experiência. A experiência é somente uma comprovação, o mesmo que cozinhar e depois comer. O poder de manutenção do universo. 

2.	Para continuar existindo com utilidade e potência, Śiva necessita manter sua obra e diariamente o teatro de ilusões é repetido com a ajuda dos milhões de seres que ao mesmo tempo são apenas Ele mesmo. Cada um realiza o que pode e compreende assim em soma, Śiva que está presente nos bilhões de indivíduos, faz de tudo, por isso nos surpreendemos quando vemos alguém fazer coisas que nos transcende. 

3.	Em verdade é Śiva quem o faz naquele indivíduo. O poder de reabsorção do universo e a vida em geral, se dão pela apropriação dos sentidos sobre qualquer forma objetiva. Os sentidos são as partes mais importantes deste poder e, todavia, os cúmplices da desgraça do indivíduo, porque em sua maioria os humanos estão condicionados por ele e perdem sua condição de senhor passando a ser escravo de seus sentidos. 

4.	Śiva é arrastado por sua própria eleição. O poder de ocultação de si mesmo na condição de indivíduo humano. Este é o poder que mais mete confusão na humanidade, pois poucos são os que entendem que Śiva precisava ocultar-se de Si mesmo em seu aspecto individual para poder brincar com o mundo criado. Caso Ele estivesse sapiente de sua realidade não haveria jogo e quiçá o universo não existisse. A māyā contribui para sua ocultação quando limitamos, assim explicamos a razão da ignorância respeito a nossa identidade real. Respeito a este poder, vejamos o que diz Abhinavagupta no Tantraloka: 

«Śiva, essencialmente luminoso, tendo como natureza a livre Consciência, esconde a modo de jogo seu próprio Si - mesmo e se converte num ser individual sob formas múltiplas.
Livremente, se escraviza a si mesmo com atos feitos de pensamento dual e de construções mentais. Mas é tão potente a liberdade Dele que, como foi dito é igualmente Ele que, ligado à forma limitada (que Ele assume), toca de novo sua própria essência e a revela em toda sua pureza» (13. 103-105).

5.	O poder de revelar-se a si mesmo, na condição de indivíduo humano. Como Ele é o todo sapiente, reservou para última estância da vida o poder de revelar-se ao indivíduo (que é ele mesmo) para que o enigma do jogo fosse temporariamente (pois a qualquer momento a māyā o oculta novamente) revelado. Assim, o psiquismo do indivíduo se identifica com Ele permitindo a afamada realização pessoal (sabīja samādhi o Ātma-vyāpti). É isso que necessita os seres vivos, da revelação de Śiva para que creiam que é de fato Ele mesmo. Cit e ānanda são a própria natureza de ParamaŚiva, mas aqui já tem suas capacidades diminuídas e, portanto, se chama Śiva.

Iccā, kriyā e Jñāna são as Śakti de ParamaŚiva. 

Elas são conhecidas como Svātantrya que tem o poder absoluto sem restrições. Aqui ParamaŚiva é conhecido como Śakti. Para o Trika, as Śakti não existem isoladas de Śiva e, Ele necessita delas para poder realizar o universo, sendo assim, ambos são pólos de uma mesma realidade, não podendo existir separadamente. A Śakti, não existe sem Śiva e Śiva, não pode manifestar-se sem ela, permanecendo inútil em seu repouso. É está realidade atribuída pelo Trika, à visão monista que admiti que Tudo seja Śiva e, nada há fora desta realidade. Mesmo quando o Trika diz que o princípio impar é feito por Śiva, Śakti e Nara, não devemos pensar em uma construção como algo diferenciado, senão os três são apenas um com diferentes aspectos. 

Então para que Śiva desça a planos inferiores Ele conta com o transporte oferecido pela Śakti e assim entra nos Tattva das experiências. Os Tattva são os princípios ou realidades por onde a Consciência Última transmigra em sua descida até Nara, o indivíduo humano. Nesse primeiro tattva, ParamaŚiva é conhecido como Śiva e se manifesta de cinco formas. A saber:

Aspectos Físicos do Universo Local


(455.1) 41:0.1 O FENÔMENO espacial característico que distingue cada criação local de todas as outras é a presença do Espírito Criativo. Todo o Nébadon, certamente, está impregnado da presença espacial da Divina Ministra de Sálvington, e essa presença também se confina, certamente, às fronteiras externas do nosso universo local. Tudo o que é permeado pelo nosso Espírito Materno do universo local é Nébadon; e aquilo que se estende para além da presença espacial dela está fora de Nébadon: são as regiões do espaço fora de Nébadon, no superuniverso de Orvônton; são os outros universos locais.

YogaLivre - Centro de Estudos Antropológicos

Rua 2 Casa 6 Fazenda Furquilha - Monte Alegre do Sul - SP

11-8209-7656